CNI se questiona: É por falta de segurança que o CRAS foi embora do bairro Cidade Nova? | Informativo Cidade Nova Informa - CNI e Biblioteca Comunitária - CNI - Oficinas CNI

CNI se questiona: É por falta de segurança que o CRAS foi embora do bairro Cidade Nova?


CRAS norte fecha as portas. Na segunda feira quando a população foi em busca de atendimento foi encontrado na porta um cartaz:





Que a partir da data 28 de maio de 2012 estava fechado e a população deveria se dirigir ao centro do município de Foz do Iguaçu na secretária de Ação Social para ser atendido. 






CNI se questiona se é por falta de segurança que o CRAS foi embora do bairro Cidade Nova? Sabemos que a prefeitura enviou nota para imprensa, sobre as ameaças que os funcionários sofreram por algumas pessoas da região, porém a dúvida que paira sobre nossas cabeças é: será que a administração que passa por um momento ruim por falta de recursos humanos na área de atuação? O município não aproveitou o momento para retirar ‘o time de campo’? Sabemos que o CRAS norte só tem três funcionários para dar assistência a toda região norte de Foz do Iguaçu. As assistentes não têm como fazer área de campo, pois se sair à campo, ao  trabalho, o CRAS ficará abandonado e sem atendimento ao povo. Ocorre aqui um dilema, sabemos que foi denunciado (SETEP) secretária estadual de emprego e trabalho a falta de funcionamento do CRAS, assim nos questionamos, porque não houve uma investigação mais afundo deste problema?  Porque não investigar melhor a situação? Na conferência Municipal de Assistência Social (CMAS), foi aprovado no qual deveria ter oito CRAS de atendimento e com todos os funcionários completos. Com isso Foz do Iguaçu sairia do INICIAL (começando ser implantada) para o BÁSICO (começando com os oitos CRAZ completo), porém o município regrediu para o INICIAL. Que mistério ronda por trás de tudo isto? Nós moradores do bairro da região norte merecemos mais respeito, melhores explicações das autoridades. Pois, é muito mais fácil ser marginalizados do que as autoridades assumirem as responsabilidades dos problemas.


Reportagem e Fotografia de Pedrinho Aparecido de Souza