CNI DOA LIVROS PARA O PRESÍDIO FEMININO (CRESFI) | Informativo Cidade Nova Informa - CNI e Biblioteca Comunitária - CNI - Oficinas CNI

CNI DOA LIVROS PARA O PRESÍDIO FEMININO (CRESFI)

Jornalista lança campanha solidária para angariar livros e montar biblioteca para detentas

A visita da jornalista e colunista do Caderno 2, Stela Guimarães, ao Centro de Ressocialização Feminino de Foz do Iguaçu (Cresfi), rendeu-lhe uma boa ideia. Ao acompanhar a entrega de chuveiros elétricos feitas à unidade, também conheceu a realidade das mais de 250 internas.
“Vi a estante de livros e questionei se os exemplares eram suficientes para a demanda. O diretor da unidade disse que há poucos livros de literatura no acervo”, confirmou Stela. A partir daí, ela encampou uma campanha pelo Facebook, onde pede a doação de exemplares, de preferência livros de literatura sem conteúdo que incite a violência, inclua-se aí ficção, biografias, livros-reportagens, romance, dentre outros.
O apelo foi atendido de imediato pelos amigos e em menos de uma semana de campanha, Stela já conseguiu a doação de 50 títulos. No último final de semana,durante um evento na Biblioteca Comunitária do Cidade Nova, vários livros repetidos do acervo foram repassados à campanha da jornalista. “Além disso, vários colegas também já me procuraram para fazer doações”.
Além de auxiliar para formação de novas leitoras, a campanha também oferece mais benefícios às detentas, entre eles a remição da pena a cada livro lido. O benefício está previsto pela lei estadual, através do Projeto Remição pela Leitura. A iniciativa permite o abatimento da pena em quatro dias a cada livro lido e resenhado, com limite de um livro por mês.
Para a presidente do Conselho da Comunidade, Luciane Fereira, que levou à unidade os primeiros exemplares encontrados por Stela, além da leitura ainda há a necessidade de voluntários que ofereçam aulas ou oficinas para a produção de resenhas. “Elas (detentas) tem muita dificuldade nessa produção, mas a procura pelos livros existe”.
Os livros angariados na campanha devem passar por uma triagem antes de serem disponibilizados às presas, seguindo orientação do Departamento de Execuções Penais do Paraná (Depen). “O que não puder ser entregue à biblioteca do Cresfi, pretendo repassar à biblioteca do Cidade Nova”, afirmou Stela.
Para auxiliar na campanha, o Conselho da Comunidade de Foz do Iguaçu vai adquirir estantes para a ampliação da biblioteca com a campanha. Para Stela, a campanha é mais que um estímulo à leitura; “a proposta não é apenas ajudar na remissão da pena, mas ajudá-las na ressocialização e disseminar a literatura, uma forma delas viajarem mesmo enclausuradas”.
O contato também pode ser feito acessando o face: campanha de doação de livros de literatura para presas.