Representante do bairro Cidade Nova, Elza Mendes é eleita para vaga destinada à comunidade externa | Informativo Cidade Nova Informa - CNI e Biblioteca Comunitária - CNI - Oficinas CNI

Representante do bairro Cidade Nova, Elza Mendes é eleita para vaga destinada à comunidade externa

Conselho Universitário  A vaga destinada à comunidade externa no Conselho Universitário da UNILA (CONSUN) tem como nova representante a líder comunitária Maria Elza Mendes, membro da Associação Cidade Nova Informa (CNI). Maria Elza foi eleita na última Reunião Ordinária do Conselho, realizada no dia 27 de outubro, para o cargo de titular, tendo como suplente José Batista de Souza Filho. Essa é a quarta eleição destinada a escolher membros da comunidade externa para atuarem como conselheiros no CONSUN, que é a instância máxima de deliberação da Universidade.    A nova eleita, Maria Elza, é militante desde 1997 e atua como líder comunitária no bairro Cidade Nova, local onde a UNILA desenvolve projetos de extensão. Essa relação entre a comunidade do Cidade Nova e a Universidade teve como um dos marcos a aula inaugural de 2012, com a vinda do cantor de rap Gog, além da inauguração da biblioteca CNI.    “A partir desse instante, nós nos fortalecemos com os projetos de extensão da UNILA. Mas isso se tornou também uma responsabilidade nossa, enquanto moradores da comunidade. Com a Universidade utilizando nosso espaço, desenvolvendo suas atividades no bairro Cidade Nova, entendemos que, como instituição, temos um papel muito importante pelo vínculo que temos com os estudantes, professores e a Reitoria”, observa Maria Elza.    Ela pontua que sua contribuição será dentro de uma perspectiva de acolhimento da comunidade acadêmica no município. “Será um trabalho de dedicação e participativo. Questões de gênero, raça, etnia e diversidade, por exemplo, devem ser trabalhadas com afinco. Também acredito que todo processo público necessita da participação comunitária, independente da política, porque quando estamos de fora, conseguimos perceber mais os problemas, para tentar resolver de forma mais coerente”, complementa.


Conselho Universitário
A vaga destinada à comunidade externa no Conselho Universitário da UNILA (CONSUN) tem como nova representante a líder comunitária Maria Elza Mendes, membro da Associação Cidade Nova Informa (CNI). Maria Elza foi eleita na última Reunião Ordinária do Conselho, realizada no dia 27 de outubro, para o cargo de titular, tendo como suplente José Batista de Souza Filho. Essa é a quarta eleição destinada a escolher membros da comunidade externa para atuarem como conselheiros no CONSUN, que é a instância máxima de deliberação da Universidade.

A nova eleita, Maria Elza, é militante desde 1997 e atua como líder comunitária no bairro Cidade Nova, local onde a UNILA desenvolve projetos de extensão. Essa relação entre a comunidade do Cidade Nova e a Universidade teve como um dos marcos a aula inaugural de 2012, com a vinda do cantor de rap Gog, além da inauguração da biblioteca CNI.

“A partir desse instante, nós nos fortalecemos com os projetos de extensão da UNILA. Mas isso se tornou também uma responsabilidade nossa, enquanto moradores da comunidade. Com a Universidade utilizando nosso espaço, desenvolvendo suas atividades no bairro Cidade Nova, entendemos que, como instituição, temos um papel muito importante pelo vínculo que temos com os estudantes, professores e a Reitoria”, observa Maria Elza.

Ela pontua que sua contribuição será dentro de uma perspectiva de acolhimento da comunidade acadêmica no município. “Será um trabalho de dedicação e participativo. Questões de gênero, raça, etnia e diversidade, por exemplo, devem ser trabalhadas com afinco. Também acredito que todo processo público necessita da participação comunitária, independente da política, porque quando estamos de fora, conseguimos perceber mais os problemas, para tentar resolver de forma mais coerente”, complementa.


Membros da comunidade


Membros da comunidade        O membro da comunidade externa tem as mesmas atribuições que competem aos demais conselheiros, conforme estabelecido no Regimento Interno do CONSUN - entre elas, participar das sessões do Conselho, contribuindo no estudo, nos debates e na busca de soluções para os problemas em discussão. Os conselheiros têm, ainda, direito a voto nas tomadas de decisão e à participação em comissões e na relatoria de processos. O mandato dos representantes da comunidade externa é de um ano, com possibilidade de recondução por igual período. Entre os membros eleitos, já passaram pelo CONSUN representantes do Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu e da Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI).    “Penso que é uma iniciativa válida de diálogo com a comunidade. Na maioria dos diálogos dos quais participei, houve pautas e trâmites muito específicos e inerentes à Universidade. Ao mesmo tempo, constitui-se um espaço de diálogo e de relacionamento que permite essa participação externa. A complexidade da UNILA se revela nesse ambiente, um espaço também de aprendizagem”, coloca Thaisa Praxedes Oliveira, representante da Fundação PTI, que assumiu em 2016 a vaga de conselheira externa no CONSUN.  Representações da Comunidade externa no CONSUN:    2013/2014  Aluízio Palmar (titular) - Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu  Padre Carlos Sosa (suplente)    2014/2015  Padre Carlos Sosa (titular) - Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu  Tathiana Guimarães (suplente)    2016  Thaisa Praxedes de Oliveira (titular) – Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI)  Fabiano Nogueira (suplente)    2017  Maria Elza Mendes (titular) – Associação Cidade Nova Informa  José Batista de Souza Filho (suplente)

O membro da comunidade externa tem as mesmas atribuições que competem aos demais conselheiros, conforme estabelecido no Regimento Interno do CONSUN - entre elas, participar das sessões do Conselho, contribuindo no estudo, nos debates e na busca de soluções para os problemas em discussão. Os conselheiros têm, ainda, direito a voto nas tomadas de decisão e à participação em comissões e na relatoria de processos. O mandato dos representantes da comunidade externa é de um ano, com possibilidade de recondução por igual período. Entre os membros eleitos, já passaram pelo CONSUN representantes do Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu e da Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI).

“Penso que é uma iniciativa válida de diálogo com a comunidade. Na maioria dos diálogos dos quais participei, houve pautas e trâmites muito específicos e inerentes à Universidade. Ao mesmo tempo, constitui-se um espaço de diálogo e de relacionamento que permite essa participação externa. A complexidade da UNILA se revela nesse ambiente, um espaço também de aprendizagem”, coloca Thaisa Praxedes Oliveira, representante da Fundação PTI, que assumiu em 2016 a vaga de conselheira externa no CONSUN.
Representações da Comunidade externa no CONSUN:

2013/2014
Aluízio Palmar (titular) - Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu
Padre Carlos Sosa (suplente)

2014/2015
Padre Carlos Sosa (titular) - Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu
Tathiana Guimarães (suplente)

2016
Thaisa Praxedes de Oliveira (titular) – Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI)
Fabiano Nogueira (suplente)

2017
Maria Elza Mendes (titular) – Associação Cidade Nova Informa
José Batista de Souza Filho (suplente)



Por Botura Souza, Marcelo 
01/11/2017 17:30Pm - Atualizado em 07.11.2017 11:00 min
Fonte: Unila, Universidade Federal da Integração Latino-Americana
<https://www.unila.edu.br/noticias/conselho-universitario-9>